NOSSOS PRODUTOS

FLUXOGRAMA DE PRODUÇÃO DA CELULOSE

Conheça o fluxograma de produção da celulose e descubra cada etapa do nosso extenso trabalho.

O processo inicia no viveiro com pesquisas e melhoramento das mudas de eucalipto. Do Viveiro as mudas vão para o plantio em nossos hortos florestais . Após um ciclo de 7 anos o eucalipto é cortado , descascado e transportando para a fábrica.

O produto final da CMPC Celulose Riograndense é a celulose branqueada a partir da fibra curta de eucalipto, comercializada globalmente para fabricantes de papéis de higiene pessoal (tissue) de alto valor agregado, como papel higiênico, fraldas descartáveis, absorventes e guardanapos de papel. Parte da produção também é voltada ao mercado de papéis para indústria gráfica.

1. COLHEITA

1. COLHEITA

Após um ciclo de 7 anos o eucalipto é cortado, descascado e transportado para a fábrica, operação que ocorre dentro dos plantios onde são cultivados os eucaliptos. Cascas, folhas e galhos ficam na terra para virar matéria orgânica.

2. PRODUÇÃO DE CAVACOS

2. PRODUÇÃO DE CAVACOS

Após esse processo, as toras são levadas para lavagem, picagem em tamanho pré-determinado e peneiramento. A partir daí, os cavacos ficam em uma tela circular (wind fence) e silos.

3. COZIMENTO

3. COZIMENTO

No cozimento, os cavacos formam uma pasta marrom, também chamada de celulose não branqueada. Esse processo, que se chama Kraft, ocorre a 150º C com adição de Sulfeto de Sódio, dissolvendo a lignina e liberando a celulose como polpa de papel de maior qualidade.

4. DEPURAÇÃO, DESLIGNIFICAÇÃO E BRANQUEAMENTO

4. DEPURAÇÃO, DESLIGNIFICAÇÃO E BRANQUEAMENTO

Depuração consiste na separação das impurezas da madeira e dos pedaços de cavaco que não foram cozidos. Depois, é removida a lignina, uma substância que une as células da celulose. No branqueamento, a celulose é submetida a um tratamento químico com agentes oxidantes. Esta operação é feita em 3 estágios até atingir a alvura desejada.

5. SECAGEM

5. SECAGEM

Na secagem, a água da celulose é retirada até que esta atinja um equilíbrio satisfatório com a umidade relativa do ambiente.

6. EMBALAGEM

6. EMBALAGEM

Depois de secas, as folhas de celulose são cortadas e organizadas em fardos, facilitando o transporte.

7. TRANSPORTES

7. TRANSPORTES

Após armazenada, a celulose é enviada a partir do porto coberto e privado da empresa em Guaíba ao Porto Público de Rio Grande por meio do Lago Guaíba e Lagoa dos Patos. Um dos diferenciais da CMPC Celulose Riograndense é ter uma localização próxima a BR 290 que facilita o transporte de madeiras oriundas das mais variadas regiões do Estado.

8. MERCADO

8. MERCADO

A celulose produzida na fábrica de Guaíba é utilizada para todo o mercado externo.

PAPEL

A CMPC Celulose Riograndense possui uma unidade de fabricação de papéis não-revestidos (offset) que apresentam uma elevada rigidez e alta resistência. Esta linha de produtos é composta pelos papéis Primapress (gramaturas de 56g/m² a 180g/m²) e Primalaser (nas gramaturas 70g/m² a 90g/m²).

Direcionados ao segmento gráfico e editorial, ambos foram desenvolvidos para satisfazer plenamente as necessidades e as exigências durante o processo de impressão policrômica, tanto em prensas rotativas como em impressoras planas.

Os papeis da CMPC Celulose Riograndense são produzidos com 100% de celulose de fibra curta de eucalipto, somente com madeira controlada e proveniente de áreas reflorestadas em conformidade com a legislação ambiental respeitando a comunidade e o meio ambiente.

CONHEÇA NOSSO PROCESSO FLORESTAL

Por ser uma empresa de base florestal, cujas atividades dependem dos recursos naturais, a CMPC Celulose Riograndense
está consciente de que é sua responsabilidade contribuir para que o uso destes recursos naturais
renováveis seja assegurado no futuro, tanto para seu próprio negócio como para a sociedade como um todo.

SAIBA MAIS